Secretário Nacional de Prevenção e Cuidado ao Uso de Drogas ressalta a importância do Centro de Valorização da Vida no combate ao suicídio -


Quirino Cordeiro participou da comemoração dos 57 anos da entidade. A dependência química é o segundo maior fator de suicídio no País

publicado  em 16/08/2019 16h44

Brasília (DF) – Reforçar o apoio a entidades que combatam o suicídio e hospitais psiquiátricos que atendam dependentes químicos. As metas fazem parte da Nova Política Sobre Drogas, defendida pelo governo federal. Nesta sexta-feira (16), o secretário Nacional de Cuidados e Prevenção ao Uso de Drogas do Ministério da Cidadania, Quirino Cordeiro, participou da comemoração em homenagem aos 57 anos de fundação do Centro de Valorização da Vida – serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e prevenção ao suicídio, oferecido por meio do telefone 188. A comemoração ocorreu no Hospital Psiquiátrico Francisca Júlia, em São José dos Campos, São Paulo. Na ocasião, outra data também foi lembrada: os 47 anos do hospital psiquiátrico onde o evento ocorreu.


De acordo com o secretário, a dependência química é o segundo maior fator de risco entre os casos de suicídio no Brasil – cerca de 22% dos casos, perdendo somente para transtornos de humor. Por isso, é fundamental que governo e sociedade civil integrem as ações. “Nesse momento que temos uma nova política sobre drogas no Brasil e uma nova lei sobre drogas, nós estamos buscando reverter essa situação. Por conta disso, o Ministério da Cidadania tem se aproximado de entidades que trabalham tanto na assistência de pessoas que apresentam dependência química, como de entidades que promovem a prevenção e a conscientização do suicídio no Brasil”, destacou Cordeiro.

O secretário também ressalta que o principal objetivo do governo federal é proporcionar um atendimento de qualidade aos usuários de entorpecentes. Assim, aumentam as chances para que eles consigam enfrentar esta situação de vulnerabilidade, dando continuidade às suas vidas. “Por isso, temos alinhado com essas entidades as ações em prol de um cuidado mais apropriado dos dependentes químicos no País”, acrescentou.

Além da aproximação com as entidades que combatem o suicídio, o Ministério da Cidadania já assinou parceria com a Associação Brasileira de Psiquiatria e está alinhada com a Frente Parlamentar de Combate ao Suicídio e a Automutilação, criada em julho deste ano, na Câmara dos Deputados.

Saiba mais
A Nova Lei de Drogas foi sancionada em junho pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. Entre as modificações, ela estabelece ações mais rígidas contra o tráfico de drogas, prevê a internação involuntária de usuários para desintoxicação e reforça o trabalho das comunidades terapêuticas. A Política Nacional Sobre Drogas é desenvolvida em conjunto pelos ministérios da Cidadania, Saúde, Justiça e Segurança Pública, e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. O Ministério da Cidadania é responsável pelo tratamento de dependentes químicos com foco na estratégia de abstinência dos usuários.

Além disso, a Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção ao Uso de Drogas já se reuniu com representantes de governos, de entidades e de comunidades terapêuticas em 12 estados para alinhar as ações de acolhimento, tratamento e prevenção ao uso de drogas. Foram eles: Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Amazonas, Roraima, Pará, Piauí, Maranhão, Ceará, Alagoas e Distrito Federal.

Informações sobre os programas do Ministério da Cidadania:
Central de Relacionamento – 121

Informações para a imprensa:
Ascom/Ministério da Cidadania
(61) 2030-1505
www.mds.gov.br/area-de-imprensa

Leia mais: http://mds.gov.br/area-de-imprensa/noticias/2019/agosto/secretario-nacional-de-prevencao-e-cuidado-ao-uso-de-drogas-ressalta-a-importancia-do-centro-de-valorizacao-da-vida-no-combate-ao-suicidio


Leia Também:

Anterior:

Próxima: