Embrapa faz consultas e debates para produzir novo Plano Diretor -


A Embrapa está consultando mais de 2 mil representantes de diferentes instituições para subsidiar a produção do seu VII Plano Diretor, com a participação de integrantes do setor agropecuário e da ciência, tecnologia e inovação do país. Também estão sendo entrevistados mais de trinta representantes de diferentes setores da agricultura nacional. Cerca de 2,5 mil empregados da Empresa já contribuíram. Uma comissão analisou cerca de 60 documentos de referência e está realizando workshops em Campinas com mais de 80 participantes de diferentes unidades da Empresa e de setores do agronegócio. O objetivo é elaborar o novo Plano Diretor, documento que estabelece as orientações estratégicas para as atividades a serem desenvolvidas pela Embrapa, traçando os rumos da instituição no médio e longo prazos. O PDE também define as prioridades para o planejamento das ações de gestão, de pesquisa e de suporte à pesquisa.

O primeiro workshop aconteceu em Campinas, na sede da Embrapa Informática Agropecuária, em Campinas, e reuniu, majoritariamente, representantes das regiões Norte e Nordeste do país. O segundo encontro acontece no dia 16, no mesmo local, com participantes do Sudeste, Centro-Oeste e Sul.

O PDE é considerado um instrumento fundamental de gestão estratégica da Embrapa. É produzido a partir de diagnósticos e análises dos ambientes interno e externo, tendo em vista os desafios presentes e futuros para o desenvolvimento sustentável do espaço rural e para a competitividade do agronegócio. O PDE foi elaborado em 2014 e passou a vigorar em 2015 até hoje.


“A Embrapa sempre coloca muita energia na elaboração periódica de seu planejamento estratégico. Historicamente parece claro que tivemos uma evolução e um amadurecimento na construção dos planos diretores. Não se trata de um documento de prateleira, mas algo que estabelece diretrizes e rumos e nos ajuda a estar conectados às demandas do agro brasileiro e fundamental no nosso dia a dia”, enfatizou o presidente da Embrapa, Celso Moretti, que participou na abertura do workshop.

Moretti chamou atenção para a grande participação dos gestores e empregados da Empresa na construção do VII PDE e pelo apoio e envolvimento recebido do setor agrícola, por meio de representantes de cooperativas, entidades, extensão rural, produtores e seus representantes que contribuíram fortemente com as entrevistas e as pesquisas e também com a presença no workshop.

O presidente da Embrapa lembrou que a agricultura brasileira tornou-se referência mundial em produção agrícola a partir do investimento em ciência. “E o Brasil seguirá demonstrando que é possível fazer uma agricultura que preserva e protege o meio ambiente”, afirmou, destacando, ainda, a enorme capacidade da Embrapa de gerar conhecimento capaz de dar base para a sustentabilidade da agricultura brasileira.

O PDE será resultado da análise coletiva de dois temas centrais: as transformações mundiais que resultarão em desafios da agricultura no Brasil e os papéis das organizações públicas de pesquisa agropecuária e seu posicionamento no sistema de inovação. A expectativa é que o novo PDE seja concluído ainda em 2019.

Um dos parceiros externos da Embrapa, Marcelo Costa Martins, diretor-executivo da Viva Lácteos, avaliou que a participação neste trabalho de planejamento é importante para o setor. “No nosso caso, a Embrapa têm sido muito importante para o desenvolvimento de tecnologias. Hoje, por exemplo, nós temos uma parceria com a Embrapa Gado de Leite no Ideas for Milk, que é um programa fantástico da Embrapa, no sentido de trabalhar com startups e desenvolver novas tecnologias que atendam aos anseios do setor de lácteos, tanto das indústrias quanto dos produtores”.

Leia mais: http://revistapress.com.br/sem-categoria/embrapa-faz-consultas-e-debates-para-produzir-novo-plano-diretor/


Leia Também:

Anterior:

Próxima: