Paulista bordô em alusão ao Combate às Cefaleias -


O prédio da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) costuma chamar a atenção de quem passa pela Avenida Paulista. Nesta segunda-feira, 27, haverá mais um motivo para querer observá-lo: a parte externa do edifício será iluminado com a cor bordô em alusão à Campanha Nacional do Combate às Cefaleias.

A fita da campanha nacional de combate às cefaleias será projetada na edificação a noite toda. A iniciativa da Sociedade Brasileira de Cefaleia em parceria com a Abraces (Associação Brasileira de Cefaleia em Salvas e Enxaqueca), com apoio da Novartis, quer envolver a população na compreensão das cefaleias.

“A ideia é convidar os transeuntes para interagir, comparecer ao prédio iluminado da FIESP, para que tirem selfies, enviem as imagens aos que sofrem com algum tipo de cefaleia. A campanha #MaioBordô é importante para tirar o estigma de que dor de cabeça é algo simples, muito pelo contrário, ela impõe dificuldades no dia a dia do trabalho, nos relacionamentos, ou seja, na qualidade de vida”, afirma Arão Belitardo de Oliveira, membro da Abraces e da Sociedade Brasileira de Cefaleia.


A importância de conhecer melhor as dores de cabeça é justificada pela incidência e pelo impacto das mesmas. A enxaqueca, por exemplo, atinge 15 a cada 100 brasileiros, o que equivale a 30 milhões de pessoas no país. Frequentemente ocorre durante o auge da idade produtiva, entre 35 e 45 anos e, muitas vezes, resulta em incapacidade temporária durante os as crises.

Estima-se que os custo diretos e indiretos da enxaqueca na Europa cheguem a 50 bilhões de euros e 28 bilhões de dólares nos Estados Unidos.

Estudo My Migraine Voice

Recentemente, o estudo My Migraine Voice, promovido pela Novartis em parceria com a Aliança Europeia para Enxaqueca e Cefaleia (European Migraine and Headache Alliance), revelou que 82% dos entrevistados brasileiros sofrem com impacto da enxaqueca na vida social. A análise contemplou 11 mil pessoas que sofrem com a enxaqueca em 31 países, incluindo o Brasil, com participação de 851 pacientes.

Sobre o impacto da enxaqueca, um dos tipos de cefaleia, na vida de quem sofre com ela, foi lançado recentemente o estudo My Migraine Voice, promovido pela Novartis em parceria com a Aliança Europeia para Enxaqueca e Cefaleia (European Migraine and Headache Alliance), com pacientes que sofrem de enxaqueca e o principal resultado foi: 82% dos entrevistados brasileiros sofrem com impacto da doença na vida social. A análise contemplou 11 mil pessoas que sofrem com a enxaqueca em 31 países, incluindo o Brasil, com participação de 851 pacientes.

Outros dados relevantes que a pesquisa identificou: 56% dos consultados relataram não conseguir cumprir todas as atividades diárias e realizar hobbies, 54% narraram a impossibilidade de comparecer a eventos sociais e ainda 30% sequer conseguem praticar exercícios físicos.

Sobre a Novartis

A Novartis está reinventando a medicina para melhorar e prolongar a vida das pessoas. Como líder global em medicamentos, utilizamos inovações científicas e tecnologias digitais para criar tratamentos transformadores em áreas de grande necessidade médica. Com foco na descoberta de novos medicamentos, estamos entre as principais empresas do mundo que investem consistentemente em pesquisa e desenvolvimento. Os produtos da Novartis alcançam mais de 800 milhões de pessoas em todo o mundo e estamos encontrando maneiras inovadoras de expandir o acesso aos nossos tratamentos mais recentes. Cerca de 130 mil pessoas de quase 150 nacionalidades trabalham na Novartis em todo o mundo. Saiba mais em: www.novartis.com.

 

Leia mais: http://site.abcfarma.org.br/paulista-bordo-em-alusao-ao-combate-as-cefaleias/


Leia Também:

Anterior:

Próxima: