Artigo – Hortas coletivas: uma escola de sustentabilidade e beleza urbana -


A máxima que prega que a vida da cidade é cinza já deixou de valer há algum
tempo. Cada vez mais, grandes metrópoles como São Paulo aderem ao verde em
suas construções. Prédios com fachadas verdes, novos parques e praças,
avenidas e ruas sendo arborizadas, revitalizadas. O verde volta à cidade
para trazer lazer, bem estar e saúde.

Muito disso se deve ao incentivo à sustentabilidade, que tomou conta do
pensamento de cidadãos e organizações. Agora, um importante passo para que
isso não se perca com o tempo e “saia de moda”, é a necessidade de plantar
novas sementes de consciência e beleza em meio ao cenário urbano.

É por isso que as hortas coletivas tem feito tanta diferença. Elas são
verdadeiras escolas de sustentabilidade, ensinando e trazendo prazer em
cuidar do verde à pessoas de todas as idades. As iniciativas contam com
diferentes colaborações, mas todas servem ao propósito de aproximar o
cidadão da metrópole de algo que completa seu dia a dia, melhora sua vida e
embeleza seu bairro.


A sustentabilidade vai do bem estar físico à alimentação saudável, passando
pelo cuidado com a cidade. Pensando em cultivar essa ideia, listamos cinco
hortas coletivas para você visitar e participar, em São Paulo.

Horta do Centro Cultural São Paulo – Localizada nos andares de cima do
Centro Cultural, na estação de metrô Vergueiro, essa horta é cuidada,
sobretudo, por moradores da região da Paraíso, e aceita participantes de
todos os lugares. Basta se informar sobre os dias de mutirões pela internet
ou redes sociais.

Horta das Corujas – Localizada na Praça das Corujas, Vila Beatriz, na zona
oeste, essa é uma horta muito conhecida da cidade. Seus voluntários também
se organizam pelas redes
sociais e aceitam aqueles com boa vontade e desejo de participar.

Jardim do Rock – Localizada no terraço da famosa Galeria do Rock, no Centro,
o Jardim do Rock oferece cursos para quem busca plantar alimentos para
consumo próprio. É uma maneira de buscar uma vida mais saudável. A horta se
sustenta através da venda do que é plantado para restaurantes da região. Seu
espaço de visitação demanda um guia. Os jardineiros voluntários precisam
estar vinculados aos cursos, e mais informações podem ser obtida nas
redes sociais.

Horta comunitária da Saúde – Localizada no bairro da Saúde, próximo ao
metrô, essa horta tem mutirões de cuidado no segundo domingo do mês pela
manhã. Ela está aberta ao público, que também busca trocar experiências a
respeito do cultivo nas
redes sociais.

Horta das flores – Para finalizar nosso guia turístico, temos a Horta das
Flores, na Mooca. Sua proposta é trazer a zona rural para a cidade. Os
mutirões de cuidado acontecem no primeiro domingo do mês e às terças e
quartas-feiras. O espaço atende a pessoas que não podem frequentar durante o
final de semana. Como sempre, há um grupo de organizadores nas
redes sociais.

Existem inúmeras outras hortas espalhadas pela cidade e é possível encontrar
alguma próxima a seu bairro. Se você tem interesse em se tornar voluntário,
ou ao menos conhecer, essa lista vai te ajudar a começar.

Para mais conteúdos do blog da Regatec visite:
www.regatec.com.br/2018/blog/


Leia Também:

Anterior:

Próxima: