GPA vai acelerar conversão de lojas regionais -


Após duplicar lucro líquido na comparação interanual – chegando a R$ 1,3 bilhão –, o grupo GPA Alimentar pretende intensificar o movimento de conversão e revitalização de lojas do multivarejo a fim de fortalecer a atuação das bandeiras regionalmente. “Em 2018, conduzimos um grande plano de otimização do portfólio de lojas com iniciativas de conversão, de renovação e também de novos conceitos, que permitiu mais assertividade na entrega de produtos e serviços aos nossos clientes. Registramos um avanço de 10,7% no faturamento bruto do GPA Alimentar, chegando a quase R$ 54 bilhões no ano de 2018”, afirmou o diretor presidente do grupo em teleconferência ao mercado, Peter Estermann, em entrevista ao jornal DCI.

De acordo com o executivo, essas estratégias tiveram êxito em virtude no volume aportado no ano passado. “Os nossos investimentos de quase R$ 1,7 bilhão, 30% superior ao de 2017, mostram a nossa confiança na execução da nossa estratégia de negócios”, disse o executivo, ressaltando que o volume de investimentos estimados para 2019 gira em torno de R$ 1,8 bilhão – o maior volume aportado na história da companhia.

Uma das bandeiras que foi reativada e vem se expandindo de forma regional é a rede de supermercados Compre Bem – com foco no público pertencente às classes B e C. Segundo o balanço realizado pela companhia, após a conversão de 13 lojas com a bandeira Mercado Extra para Compre Bem, o volume de vendas aumentou 50% no quarto trimestre de 2018 em relação ao mesmo período do ano anterior. “Nosso foco tem sido a aproximação com o consumidor por meio da categoria de perecíveis, apostando na venda de produtos na padaria, açougue e também hortifruti. Isso envolveu reestruturação logística no recebimento diário desses alimentos”, disse ao DCI diretor executivo da bandeira Compre Bem, Sérgio Leite.


Ainda de acordo com o executivo, o objetivo é atender o cliente que faz reposição diária de alimentos na residência. “Estamos trabalhando com um calendário promocional muito agressivo. O tíquete médio tem evoluído também desde o processo de conversão no último trimestre”, afirmou Leite.

O executivo também conta que houve a necessidade de remodelar a disposição de gôndolas dentro das unidades convertidas, com o objetivo de promover maior visibilidade para os alimentos perecíveis.

Em relação à possibilidade de novas conversões para a bandeira Compre Bem em 2019, Leite explica que “nesse momento a equipe está estudando o nível de aderência do modelo em cada região.” Em nota, a corretora de valores Coinvalores avaliou o desempenho da rede varejista como bom e ressaltou os “os ganhos de eficiência operacional” no trimestre. “Além disso, a companhia mantém caixa líquido para suportar o seu plano de crescimento via abertura de lojas e continuidade de sua estratégia omnicanal, oferecendo aplicativos de fidelização”, disse a corretora por meio de comunicado.

No balanço trimestral, a companhia salienta a intenção de continuar investindo em iniciativas voltadas para a venda online de alimentos nas plataformas de e-commerce e aplicativos.

Para o segundo trimestre de 2019, o grupo prevê expandir os serviços de entrega por meio do aplicativo James Delivery para a cidade de São Paulo e para mais dez centros urbanos até o final do ano. Por ora, iniciativa opera apenas em Curitiba. Além disso, a companhia ressaltou o potencial de crescimento do recém-lançado e-commerce voltado para a venda de vinhos, denominado como Pão de Açúcar Adega. “Seguimos consistentes no processo de transformação digital”, diz Estermann.


Leia Também:

Anterior:

Próxima: