Médico alerta para o risco de cirurgias realizadas fora do país -


Fatores como o preço influenciam na escolha, mas paciente deve ficar alerta ao procedimento e principalmente ao pós-operatório

O sonho do corpo ideal já é realidade para quem busca mudanças estéticas. Preenchimentos, implantes, transplantes, correções, redução de medidas são os procedimentos mais procurados por homens e mulheres no mundo todo, mas de acordo com o médico Leandro Ribeiro Mauro, médico de Curitiba, especialista em transplante capilar, buscar uma cirurgia fora do país requer muito cuidado. “O Brasil possui ótimos cirurgiões, em todas as áreas, porém, atraídos pelo preço, os brasileiros estão procurando procedimentos no exterior, nada contra, mas é importante pesquisar o histórico do profissional, das instalações que ele usa, para que no final, o barato não saia caro e acabe custando a saúde do paciente”, diz o médico.


 

Não raro, grupos nas redes sociais promovem a troca de informações sobre os lugares mais baratos para realizar diversos tipos de cirurgia. Há, inclusive, pessoas que organizam viagens que atraem principalmente pela oferta de menor preço. Além disso, brasileiros têm atuado como intermediadores entre pacientes, médicos e “cuidadores”, pessoas que recebem para ajudar no pós-operatório.

 

Dr. Leandro voltou recentemente de um curso na Turquia, onde pode ver de perto a atuação dos mais diversos tipos de especialistas, e na maioria dos casos, um “detalhe” chamou a sua atenção: as diferenças de higiene e de cuidados posteriores aos procedimentos.

 

“A realidade e a cultura do país são outras, e isso deve ser levado em conta ao escolher um cirurgião e um procedimento. Muito mais do que dinheiro, o que está em risco é a saúde e a vida do paciente. Visitei um grande hospital e, apesar de bonito visualmente, o paciente não notaria nada de errado, no entanto, as exigências de assepsia e esterilização são diferentes das nossas, ampliando assim o risco de contaminações por doenças infectocontagiosas, por exemplo”, conta o especialista.

 

Outro fato que chamou a atenção de Dr. Leandro Mauro é que a maioria das cirurgias de transplante capilar na Turquia não é realizada por um médico, mas sim por auxiliares, “na maioria das vezes, o médico nem está presente”, relata.

 

A busca pelo corpo ideal

 

O Brasil é o segundo país no ranking das cirurgias plástica. Vem logo atrás dos Estados Unidos, onde médicos do mundo todo buscam se aperfeiçoar em diversos tipos de procedimentos. “Investir em formação em outros países é o que os médicos supervalorizam, e isso é muito positivo, pois esse profissional sai na frente, no entanto, há países e profissionais que não investem tempo e nem dinheiro em sua formação, e o que vemos é o descaso e um pós-operatório sem cuidados, que podem deixar graves sequelas e causar até a morte”, alerta Dr. Leandro.

A beleza e o preço baixo não podem ser os únicos critérios para quem busca um cirurgião.

“Meu conselho é que as pessoas busquem conhecer com antecedência o país onde vão se submeter à cirurgia, sua cultura e costumes, busquem referências, visitem o hospital, conheçam a equipe médica e só realizem o procedimento se realmente se sentirem seguros com a sua escolha”, completa Dr. Leandro. 

Leia mais: http://www.sissaude.com.br/sis/inicial.php?case=2&idnot=31944


Leia Também:

Anterior:

Próxima: