EDP VENTURES FAZ PRIMEIRO APORTE FINANCEIRO PARA FINANCIAR STARTUP QUE USA DE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL EM ENERGIA -


21. fev, 2019

ssaaA EDP Ventures Brasil, veículo de investimentos de capital de risco do Grupo EDP, acabou de realizar seu primeiro aporte financeiro numa startup do mercado elétrico brasileiro. A cearense Delfos vai utilizar o aporte de R$ 1,5 milhão para finalizar o desenvolvimento da Inteligência Artificial aplicada à manutenção preditiva de usinas de geração de energia. Além da EDP Ventures Brasil, que atuou como Investidor Líder, o aporte tem participação do BMG Uptech e da Bossa Nova Investimentos. Cassio Vidigal, Head da empresa de Venture Capital da EDP, disse que  “Escolhemos a Delfos para receber o primeiro aporte da EDP Ventures Brasil por acreditarmos que esta solução brasileira tem um grande potencial de crescimento no mercado de energias renováveis local e global. Queremos investir para alavancar o desenvolvimento de tecnologias criadas no Brasil e que tenham qualidade para ganhar o mundo”.

Rosario Cannata, gerente de investimentos  da EDP Ventures, acredita que  “A Inteligência artificial aplicada à manutenção preditiva é uma tecnologia muito inovadora, com a qual a Delfos poderá ajudar empresas de energia eólica, hidrelétrica e solar a se tornarem mais eficientes, aumentando a produção das usinas e reduzindo seus custos através da previsão de falhas e de um melhor conhecimento operacional”. A Delfos iniciou sua relação com a EDP em 2016, ao vencer o concurso de startups EDP Open Innovation e receber uma premiação de 50 mil euros para o desenvolvimento de um sistema de previsão de falhas em turbinas eólicas. Na ocasião, o administrador Guilherme Studart e o engenheiro Samuel Lima criaram um modelo de cruzamento de dados capaz de fddddantecipar o desgaste dos componentes e recomendar a manutenção preventiva dos equipamentos.


O Grupo EDP possui uma estratégia global de Corporate Venture. Por meio de um veículo semelhante existente em Portugal desde 2008, a EDP já investiu mais de 30 milhões de euros em 22 startups. Guilherme Studart(foto), CEO da Delfos, disse que “O apoio da EDP impulsionou a forma de atuação da Delfos no mercado. Nossa solução tem como objetivo possibilitar uma Governança Operacional eficiente, reduzindo incertezas operacionais e aumentando a produtividade dos ativos de energias renováveis. Queremos expandir nosso negócio utilizando a Inteligência Artificial aplicada a todos os segmentos do setor de Energia “.

Leia mais: https://petronoticias.com.br/archives/125438


Leia Também:

Anterior:

Próxima: