Visa cria tecnologia para reduzir fraudes e desistências no comércio eletrônico -


A Visa criou um novo sistema que tem como objetivo aumentar a segurança do comércio eletrônico, ajudando a substituir o boleto como meio de pagamento. A tecnologia, chamada 3 DS 2.0, amplia a quantidade de informações do consumidor que são enviadas pelo e-commerce ao banco, aumentando a segurança. Hoje apenas seis dados são fornecidos, como informações bancárias e valor da transação.

No novo sistema, mais de 100 informações serão fornecidas, como o produto adquirido, se o acesso é por via mobile, se é a primeira vez que aquele dispositivo é usado para fazer compras, quantas vezes aquela página foi acessada, entre outras.

A tecnologia ajudaria os e-commerces a diminuir as fraudes, além da quantidade de boletos não pagos e os carrinhos de compras abandonados, aumentando o faturamento das lojas digitais. No primeiro semestre de 2018, o comércio eletrônico obteve 23,6 bilhões de reais de faturamento. Em todo o ano de 2017, o valor foi de 47 bilhões de reais. Se não fossem esses problemas, o valor poderia ser muito maior.


Pesquisa realizada pela comScore nos EUA a pedido da Visa, em 2015, apontou que 68% dos usuários de internet não concluem compras devido aos processos necessários para sua efetivação. Isso inclui a dificuldade para realizar pagamentos. A projeção da Visa é aumentar a taxa de conversão em 20% com o novo sistema.

Isso seria possível porque ele prevê a inclusão de novos meios de pagamento, como o débito, que atualmente não é utilizado porque traz grandes riscos, já que o dinheiro sai imediatamente da conta do cliente, ao contrário do crédito, que precisa ser pago apenas na próxima fatura.

Quase 10% da população ainda não possuem conta bancária ou cartão de crédito internacional. Essas pessoas, muitas vezes, utilizam o boleto. De acordo com dados da eBit e Webshoppers, em 2016, os cartões de crédito somavam 62% dos pagamentos online e o boleto bancário 9%. Este último, porém, tem o risco de os consumidores não realizarem o pagamento até o vencimento, gerando perda de receita para o e-commerce.

“A conversão é o grande problema do comércio eletrônico. O cliente desiste porque não encontra o produto que quer, porque o site é confuso, ou até porque não há um meio de pagamento que o atenda”, afirmou Hugo Costa, diretor executivo da Visa.

A Visa espera, até o final de 2019, implantar o sistema em 80% de todas as lojas de comércio eletrônico.


Leia Também:

Anterior:

Próxima: