Sobrecargas em fios e manutenção equivocada: saiba o que pode causar incêndios em ar condicionado -


Fiação e potência, quando desalinhadas, acabam sobrecarregando os aparelhos

Apesar de não haver um laudo apontando ainda a causa exata do incêndio que vitimou dez jovens jogadores no CT Ninho do Urubu, do Flamengo, no Rio de Janeiro, o mais provável é que o fogo tenha iniciado em um curto-circuito de um ar-condicionado. Para que se evitem tragédias deste tipo, a instalação do equipamento precisa, antes de tudo, observar pré-requisitos básicos que garantam a segurança e o bom desenvolvimento dele. O presidente da ASBRAV – Associação Sul Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Aquecimento e Ventilação, Eduardo Hugo Müller explica as normas técnicas e legais.

– É importante assegurar que esteja sendo feita manutenção periódica, pois é a garantia de que sejam identificados problemas nos aparelhos. Cada equipamento tem uma proteção interna, para evitar curto-circuitos, mas é necessário que verifique-se ela não está desgastada para realização de ajustes necessários – afirma.


Cuidados no momento da instalação são fundamentais analisando fios, tensão e potência adequada dos aparelhos e da rede elétrica de cada local.

– Dependendo do modelo, as potências se diferem e por isso é necessário alterar a medida da fiação. É importante observar esse ponto e também não deixar ele ligado por muito tempo, pois isso super aquece o ar-condicionado – completa.

As normas técnicas previstas vão de acordo com a Lei nº 13.589/2018, que explicita a necessidade da constante manutenção dos aparelhos e da fiscalização, para prédios públicos e privados coletivos. Ela também estipula aos locais a criação de um Plano de Manutenção, Operação e Controle (PMOC) que auxilia na prevenção de acidentes.

Redação: Vítor Figueiró
Coordenação: Marcelo Matusiak


Leia Também:

Anterior:

Próxima: