ALGUNS QUADROS CLÍNICOS ASSOCIADOS A MICOTOXICOSE EM GALINHAS -


Conteúdo disponível em: Español (Espanhol)

Frequentemente confundese as lesões causadas por micotoxinas com as produzidas por outras entidades. Neste artigo revisaremos os quadros clínicos mais comuns que observamos em condições de campo em galinhas comerciais e reprodutoras, incluindo:

  • Lesões orais;
  • Fezes de consistência aquosa;
  • roblemas com a qualidade do ovo.

Apesar de os danos hepáticos – incluindo a síndrome do fígado gorduroso – serem muito comuns em galinhas, não os incluiremos nesta publicação


Lesões orais

Associam-se, na maioria das vezes, à contaminação do alimento por micotoxinas e consistem na presença de erosões e úlceras na cavidade bucal.

alimentación animal

Geralmente, as lesões labiais não são reportadas nas aves menores de 3 a 4 semanas, a menos que o nível de contaminação seja altamente elevado

Em países onde o sorgo é incluído na dieta em substituição ao milho, podem ser observadas em aves mais jovens porque, por vezes, o nível de contaminação com micotoxinas que causam essas lesões é maior nesse tipo de grão.

Mecanismos de ação

Micotoxinas como a Toxina T2, MAS – monoacetoxiscirpenol -, DAS – diacetoxiscirpenol – e toxina HT 2 – metabólito da T2 – produzem essas mudanças através de dois mecanismos de ação:

  • Efeito corrosivo por contato direto

O primeiro é um efeito corrosivo por contato direto que lesiona o epitélio da cavidade bucal.

  • Absorção intestinal das micotoxinas

O segundo mecanismo consiste na absorção intestinal das micotoxinas mencionadas na primeira porção do intestino delgado e, então, transporte à corrente sanguínea. Uma vez no sangue, são secretadas na cavidade bucal através das glândulas salivares e causam novamente lesões no tecido bucal

Este último mecanismo explica por que quando se usa um adsorvente de micotoxinas efetivo, relata-se uma diminuição no grau e número de aves que apresentam lesões orais.

Em algumas ocasiões apresentam-se quadros clínicos no campo, onde se busca identificar, sem êxito, a T2 no alimento. No entanto, quando também se faz testes para detectar DAS ou HT 2, pode-se identificar o agente etiológico.

É importante mencionar que a Toxina T2, MAS, DAS e a HT2, têm efeito tóxico-necrose em maior ou menor grau em quase todo o sistema digestivo, causando lesões na moela, fígado e ao longo de toda a mucosa grastrointestinal.

Outros agentes

Abaixo mencionaremos outros agentes que também podem ser confundidos com as lesões orais, ainda que essas mudanças, geralmente, não sejam tão severas e típicas como as provocadas por micotoxinas. A alimentação das aves com ração moída de forma muito fina, o uso incorreto de desinfetantes a base de amônio quaternário e acidificantes fortes podem provocar mudanças na aparência da mucosa bucal.

O alimento muito fino fará com que essas partículas tão pequenas se depositem com facilidade em diferentes áreas das comissuras labiais e boca, podendo levar o clínico a confundí-las com lesões orais. Por último, alguns países que substituem o trigo pelo milho na dieta. Esse grão tem a tendência de depositar-se em algumas áreas da boca e produzir depósitos que são relativamente parecidos com as lesões orais ocasionadas por micotoxinas

Diminuição do volume de alimento consumido & aumento do tempo de consumo

O grande prejuízo do ponto de vista de eficiência produtiva causado pelas lesões orais é que diminuem o volume de alimento consumido e aumentam o tempo de consumo.

O aumento do tempo de consumo é muito crítico em climas quentes e em reprodutoras de frangos de corte, que concorrem vorazmente para consumir a dieta em muito poucas horas. O bico das aves é similar aos lábios e dentes dos mamíferos, portanto, qualquer tipo de incômodo afetará o consumo

Diagnóstico diferencial a partir de histopatologia

Ao realizar o diagnóstico diferencial a partir de histopatologia, não são observadas lesões típicas na cavidade bucal, que podem ser associadas com as micotoxinas do grupo dos tricoticenos. Porém, no timo aparecem mudanças histopatológicas típicas – afinamento do córtex do timo e depleção linfoide. Além dessas alterações, foram identificadas lesões em outros órgãos importantes dentro do sistema imunológico.

Fezes de consistência aquosa

Apesar de frequentemente as micotoxinas serem consideradas agentes causais desses quadros relativamente comuns na produção comercial, as fezes de consistência aquosa são um problema multifatorial. Existe a convicção de que a disbacteriose, ou o desequilíbrio nas populações microbianas que compõem parte da flora microbiana normal, é responsável por grande parte das patologias que se apresentam em nível gastrointestinal. Melhorar o balanço da flora microbiana deve ser um dos primeiros passos a se adotar para previnir essas afecções. Os agentes etiológicos associados com essa condição podem ser de tipo dietético/nutricional, agentes tóxicos, patológicos e ambientais.

Elementos dietéticos/nutricionais

A consistência das fezes tradicionalmente é associada com o uso de pasta de soja mal processada, inclusão de altos níveis de sal – sódio – e níveis muito altos de carbonato de cálcio em pó – não partícula – na ração consumida pelas galinhas poedeiras comerciais. Altos níveis de magnésio na dieta pelo uso de pedra calcária com altos níveis de Mg – maior que 1% -, e o que se conhece como carbonato de cálcio dolomítico também podem produzir o quadro.

Coccidiostatos do grupo dos ionóforos como a Lasalocida estimulam uma maior eliminação de água se não forem diminuídos os níveis de sódio no alimento.

É preciso levar em consideração que uma vez que se combinem muitos desses tóxicos, haverá efeito sinérgico que aumentará o grau do transtorno que provocam.

Micotoxinas

Frequentemente são associadas com micotoxinas como a T-2 e DAS, pela enterite que causa no epitélio intestinal, ou como a Ocratoxina por seu efeito sobre a absorção de líquidos pelos rins. A Citrinina, outra micotoxina, também pode causar lesões renais, porém não a detectamos com frequência em condições comerciais.

Apesar de relacionar-se a Fumonisina e outras micotoxinas com transtornos na integridade intestinal quando usadas em níveis elevados no alimento em testes experimentais, em condições de campo é difícil estabelecer claramente uma relação entre essa micotoxina e a presença de lesões nos intestinos. O que se pode estabelecer é um efeito negativo sobre os parâmetros produtivos – conversão alimentar, ganho de peso etc.

Patógenos

Infecções intestinais como Colibacilose, Clostridiose e Salmonelose estão tradicionalmente associadas com fezes muito úmidas pelas diarreias que provocam. As Espiroquetas, pouco frequentes em condições comerciais, também podem produzir diarreia.

Dentre os fatores ambientais é necessário incluir o estresse calórico que acaba provocando consumo excessivo de água. Em algumas granjas utiliza-se água de poço contaminada com altos níveis de magnésio, potássio ou sódio, que podem produzir diarreias.

O grande efeito negativo das fezes de consistência aquosa é o alto percentual de ovos sujos e a ineficiência produtiva das galinhas, que têm que comer mais para poder cobrir suas necessidades nutricionais. A passagem rápida pelo trato gastrointestinal dificultará a absorção de nutrientes importantes

Má qualidade do ovo –externa e interna

Qualidade da casca

A Aflatocina e Ocratoxina podem interferir na absorção da vitamina D 3 pelos efeitos prejudiciais sobre o fígado e rins, respectivamente. Como consequência da falta de D3, a produção normal de 25-hidroxi-D3 e 1, 25-dhidroxi-D3 é afetada. A enterite na primeira porção do intestino delgado, causada pela intoxicação pelas fusariotoxinas como a toxina T2, MAS e/ou DAS, gera falta de absorção de vitamina D3, cálcio e/ou fósforo no intestino, o que explica por que as cascas surgem com consistência mole.

Ovos de consistência aquosa

Caracteriza-se pela apresentação da clara com consistência parecida com a da água. Nesses casos, a altura da albumina, que é medida em unidades Haugh – HU, é muito baixa. Pode ser produto de micotoxinas como a Aflatoxina pelo efeito que tem sobre a síntese de proteína em nível hepático. Outras práticas de manejo que podem incidir são as seguintes:

  • Tempo de armazenamento prolongado;
  • Armazenamento a altas temperaturas;
  • Umidade baixa nas salas de armazenamento.

A Bronquite Infecciosa e a Síndrome da Queda de Postura – EDS – podem causar quadros similares.

alimentación gallinas

Manchas de sangue

Produzida por uma hemorragia dentro do folículo ovárico durante a ovulação. Os vasos sanguíneos pequenos localizados no ovário se rompem quando a gema é liberada, o que faz com que o sangue seja transportado dentro da gema no oviduto e se torne parte do conteúdo do ovo. Normalmente essas manchas localizamse próximas da gema, ainda que ocasionalmente se espalhem na albumina. As micotoxinas podem estar correlacionadas com muitos quadros clínicos, portanto, é necessário considerar muitos dos fatores mencionados no momento de realizar um diagnóstico diferencial.

Manchas da carne

Pelo contrário, as manchas da carne consistem em pequenas seções de tecidos – mais escuros que as manchas de sangue – produzidas aparentemente quando pequenas seções do oviduto são recolhidas pelo ovo antes que sejam formadas as membranas da casca. Normalmente são associadas com a albumina, não tanto com a gema e podem ser formadas por poções de manchas de sangue, ou pigmentos que foram degradados. Podem ser manchas de sangue produzidas antes da ovulação. A degradação da hemoglobina faz com que tenham uma cor mais escura.

Causas das manchas

As causas mais importantes das manchas de sangue incluem a deficiência de vitamina K, Aflatoxina e a presença de ácaros vermelhos. O efeito da Aflatoxina sobre a fragilidade capilar dos vasos sanguíneos explica por que aumenta a incidência de manchas da carne e sangue nas galinhas que consomem dietas contaminadas. Recentemente foi publicado um trabalho científico na Poultry Science, demonstrando a relação entre as micotoxinas e uma maior incidência de manchas de sangue e carne – Poultry Science 2015, Reunião Anual.

nutrición animal

Leia mais: https://avicultura.info/pt-br/alguns-quadros-clinicos-associados-a-micotoxicose-em-galinhas/


Leia Também:

Anterior:

Próxima: