Leite prestigia encerramento do Festival Internacional Sesc de Música de Pelotas -


Considerado um dos maiores eventos de música clássica da América Latina, o Festival Internacional Sesc de Música foi encerrado nesta sexta-feira (25) ao som da Orquestra Acadêmica do Festival, com participação do violinista chinês Yang Liu e dos vocais do grupo Voice In. A 9ª edição movimentou diversos espaços do município de Pelotas, no Sul do estado, durante os últimos 12 dias com 60 espetáculos gratuitos, 24 cursos com professores de 15 países, incluindo o Brasil, e reuniu cerca de 500 músicos.

A cerimônia de encerramento ocorreu no Largo do Mercado Público e contou com a presença do governador Eduardo Leite; das secretárias estaduais da Cultura, Beatriz Araujo; e de Planejamento, Leany Lemos; do secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, José Henrique Medeiros Pires; da prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas; do presidente do Sistema Fecomércio, Luiz Carlos Bohn, e do diretor nacional do Sesc, Carlos Artexes Simões, entre outras autoridades.

pelotas2 Governador e diversas autoridades estiveram acompanhando o tradicional evento – Foto: Renan Arais


“É uma alegria participar do encerramento do Festival Internacional de Música, em Pelotas, minha terra, e acompanhar a belíssima apresentação da Orquestra Acadêmica. A cultura, além de todos os benefícios para a sociedade do ponto de vista de identidade cultural e de inserção social, também faz girar a economia, gerando emprego e renda. Nesse sentido, recriamos uma secretaria focada nessa área, para poder trabalhar os temas tradicionais do estado e reconhecer a economia criativa como fundamental para propiciar um ambiente de estímulo para toda a economia”, afirmou Leite.

Pelotas é sede do festival desde sua primeira edição por reunir universidades, rede hoteleira, teatral e de restaurantes em um perímetro próximo, facilitando o deslocamento de músicos e alunos. “A cada ano esse festival se torna um patrimônio mais importante para Pelotas, porque este não é apenas um evento que traz os melhores músicos do mundo, mas também reúne alunos-aprendizes. E esse aspecto pedagógico é o grande diferencial”, afirmou a prefeita.

Com o objetivo de espalhar a música, envolver os pelotenses e desenvolver a sensação de pertencimento, a 9ª edição caracterizou-se pela forte inserção na comunidade, com mais de 20 apresentações levadas aos mais variados espaços da cidade, como hospitais, asilos, igrejas, praia e até zona rural. Nesse sentido, para valorizar a comunidade pelotense, os organizadores do festival usaram neste ano o slogan “O lado doce da música”. Uma homenagem e um reconhecimento à tradição doceira que, no final do ano passado, foi reconhecida pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como Patrimônio Imaterial do Brasil.

Ainda no encerramento, o presidente da Fecomércio garantiu que o festival terá mais uma edição e que também será em Pelotas. “Tenho o orgulho de anunciar que em 2020 teremos a 10ª edição a partir do dia 13 de janeiro, tornando mais uma vez o janeiro mais doce na cidade”, concluiu Bohn.

A realização do festival é do Sistema Fecomércio-RS/Sesc com apoio institucional da prefeitura de Pelotas e apoio cultural da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Universidade Católica de Pelotas (UCPel), Faculdade Senac, Bibliotheca Pública Pelotense, Unisinos, OSPA, Expresso Embaixador, Biri Refrigerantes, Ecosul e Café 35.

Reunião na prefeitura

Antes do encerramento do festival, o governador foi recebido no gabinete da prefeita Paula Mascarenhas. Além de discutirem demandas do município, ambos se reuniram com o secretário especial da Cultura do governo federal, José Henrique Medeiros Pires; com a secretária estadual da Cultura, Beatriz Araujo; e com o secretário municipal de Cultura de Pelotas, Giorgio Ronna.

Na pauta, o encaminhamento de verbas para obras de preservação do patrimônio histórico e projetos culturais tanto para o município quanto para o estado. Paula destacou, entre as principais demandas que necessitam de investimento federal, as restaurações do Theatro Sete de Abril e do antigo prédio do Banco do Brasil, e a criação do Museu da Cidade, um projeto criado pelo então prefeito Eduardo Leite.

O pelotense Henrique Pires, que é conhecedor da importância do patrimônio histórico da cidade, afirmou que a secretaria e o Iphan farão o possível para viabilizar todos os projetos. “Temos uma grande oportunidade e vamos aproveitar. Somos parceiros”, destacou o secretário especial da Cultura do governo federal.

Texto: Vanessa Kannenberg
Edição: André Malinoski/Secom

Leia mais: https://estado.rs.gov.br/pelotas-encerra-a-9-edicao-do-festival-internacional-sesc-de-musica


Leia Também:

Anterior:

Próxima: