Ser Mãe Empreendedora -


Sou Livia Marques, Psicóloga Clínica e Organizacional, Palestrante,

Escritora, Professora Universitária e empreendedora. Mas tenho como
principal função: Ser Mãe de duas crianças lindas que amo muito.


Quando decidi, realmente, empreender eu já tinha meu filho mais velho e
tinha acabado de passar por um forte assédio moral na empresa em que
trabalhava. Decidi fazer algo que eu já gostava e era minha área. A
Psicologia, que eu conciliava a clínica com o RH, trabalhando com carteira
assinada. Então, fui, mesmo com o maior medo. Logo depois, no Brasil veio
na tal crise e as pessoas me perguntavam: “Você é louca?! Faz um
concurso!”

Eu simplesmente fingia que não ouvia e continuava. Ser empreendedora não
é
fácil, aliás empreender não é nada fácil no nosso país. Mas eu faço
isso e
gosto muito do que realizo, tenho paixão real pelo meu trabalho. E o
principal, mostro isso para meus filhos. O que faz com que eles entendam o
meu trabalho e me admirem. Por mais que tenha dias que sentimos muita falta
uns dos outros.

Eu como mãe e psicóloga (a pessoa é psicóloga e tem filhos) sou
bombardeada, sim! E sou muito. Por exemplo: “Essa mãe não liga para os
filhos, só trabalha”. E os julgamentos continuam: “Ela não tem tempo
para
os filhos, trabalha todos os dias e em todos os horários”. Essas frases
ouço com muita frequência.

Por mais que eu seja psicóloga, sei que precisamos nos ater às coisas
boas,
mas os julgamentos doem muito. Pessoas, não julguem mães que trabalhem e
nem que empreendam! Aliás, vamos parar com esse julgamento de que essa mãe
é
ruim ou não dá atenção necessária. Crianças emães não nascem com
manuais. E
outra, vamos levar em consideração que mães podem gostar do que fazem e
podem trabalhar e não perderem seu amor materno. Essa ideia de que se a
mulher estiver trabalhando é péssima mãe deve ser deixada de lado. Será
que
hoje falam dos pais que trabalham? Que você acha?

Ser mãe, empreender é muito bom, para mim é. Eu realmente me canso muito
mais do que com a CLT. Mas a minha satisfação, a alegria de estar fazendo
a
minha agenda, por mais que, às vezes, ela possa não bater com a da
família,
é muito bom. Outra grande questão é a importância de quando se tem
apoio,
seja da família, de amigos, companheiro(a). Isso é um grande diferencial.
Se você tem medo e/ou passa por julgamentos, acredite, as pessoas falam.
Mas apenas você pode ir atrás do que sonha.

Psicóloga Livia Marques

CRP 05/37353


Leia Também:

Anterior:

Próxima: