Imunização infantil: a importância da vacinação nessa fase da vida


A vacinação durante os primeiros anos de vida é a principal forma de prevenir doenças, segundo especialistas

Dados divulgados em 2018 pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), revelam que a vacinação de crianças no Brasil atingiu o índice mais baixo em 16 anos. A meta do Ministério da Saúde era imunizar 95%, mas a cobertura variou entre 70,7% e 83,9%. Para a farmacêutica e sócia-administradora da clínica de vacinação Maximune, Manuella Duarte, a queda da imunização infantil se deve, principalmente, a diminuição dos casos de algumas doenças; divulgação de fake news (notícias falsas); e crescimento de famílias que se juntaram a movimentos antivacinas.  

“A queda no número de crianças imunizadas pode estar relacionada a redução dos casos de algumas doenças, pois, com isso, os pais acham que não precisam mais vacinar seus filhos para aquela enfermidade. O que é errado, já que patologias antes erradicadas podem voltar à tona”, afirma Manuella, que ainda aponta como exemplo o caso do sarampo que, dois anos após receber o certificado que atestava sua eliminação, voltou a surgir expressivamente no Brasil em 2017.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), houve uma queda significativa no número de vacinação em crianças entre 2016 e 2017. Esse fenômeno ficou marcado pela grande incidência de notícias falsas sobre a eficácia real das vacinas, e informações falsas sobre a procedência das mesmas. Segundo Manuella, o tabu sobre a vacinação deve ser quebrado. “A falta de conhecimento acerca da eficácia das vacinas é preocupante, porque em um período de 12 meses, por exemplo, uma doença já erradicada, ganhou força mundial por conta da acomodação dos pais e crenças em dados falsos sobre a vacinação”, explica.


A fase mais importante para a vacinação na infância é na faixa de 0 a 5 anos, quando existe uma porcentagem maior de contágio de doenças infecto-contagiosas, que podem, em muitos casos, levar a criança à óbito.

Com o período de férias chegando e o aumento da temperatura, a atenção quanto a vacinação deve ser redobrada. Com o clima úmido e quente, doenças sazonais têm grandes chances de surgir durante o verão. Para que isso não aconteça, é necessário manter a carteirinha em dia. “É preciso estar atento a carteirinha de vacinas das crianças, pois, doenças como as hepatites, coqueluche, meningite, sarampo, tétano, febre amarela e poliomielite são muito graves, e, quando não há imunização, podem ser fatais ou deixar sequelas por toda a vida”, orienta Manuella.

A imunização dos pequenos é de suma importância em qualquer fase da infância. Sobretudo, é importante se ater a necessidade da vacinação e as doses para garantir que tais doenças permaneçam erradicadas. Além disso, a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) disponibiliza todos os anos a cartilha de vacinação vigente, onde estão especificadas as vacinas necessárias e suas respectivas doses.

RT Drª Virgínia Campos Dalmaso – CRM MG 58944

Maximune – Clínica de Vacinação

Endereço: R. Lagoa da Prata, 1188 – Salgado Filho, Belo Horizonte

Horário de funcionamento: segunda a sexta de 8h às 19h e sábado de 8h às 13h

Site: https://www.maximune.com.br/


Leia Também:

Anterior:

Próxima: