Diplomatas dos EUA lideram lista de caloteiros em Londres -


Estatísticas mostram que os diplomatas americanos lideraram a lista de missões internacionais que ignoram multa de congestionamento na capital britânica

Por Kitty Donaldson, da Bloomberg

access_time 24 dez 2018, 06h00

A equipe do embaixador americano Woody Johnson IV deve ao Reino Unido quase 12 milhões de libras (US$ 15,2 milhões) em taxas de congestionamento não pagas cobradas dos veículos em Londres. O Reino Unido não espera o pagamento no curto prazo.

Estatísticas divulgadas em dezembro mostraram que os diplomatas americanos lideraram a lista de missões internacionais que desrespeitam a cobrança diária de 11,50 libras destinada a reduzir a superlotação e a poluição nas ruas da capital. A multa por não pagamento é de 130 libras, reduzida a 65 libras se paga no prazo de 14 dias. Como os EUA acumulam multas desde 2003, quando a taxa de congestionamento entrou em vigor, é provável que seja cobrado o valor mais alto.

Os diplomatas japoneses devem mais de 8 milhões de libras, os nigerianos quase 7 milhões de libras e os russos, 5,7 milhões de libras. Essas cobranças são ignoradas porque as missões estrangeiras alegam que se trata de um imposto local que não se aplica a elas.

De uma forma muito britânica, o Reino Unido tem tentado educadamente pedir o dinheiro.

“O diretor do protocolo levanta a questão nas reuniões introdutórias com todos os novos embaixadores e altos comissionados cujas missões têm dívidas”, escreveu o secretário de Relações Exteriores, Jeremy Hunt, em um comunicado ao Parlamento.

Leia mais: https://exame.abril.com.br/mundo/diplomatas-dos-eua-lideram-lista-de-caloteiros-em-londres/


Leia Também:

Anterior:

Próxima: