Entenda as diferenças das escolas internacionais, bilíngues e cursos de idiomas.


Diante da afirmação de especialistas que a infância é o melhor período para aprender uma segunda língua e considerando que o domínio de um segundo idioma é um dos pré-requisitos básicos para conquistar uma boa colocação no mercado, muitos pais podem ficar com dúvidas sobre qual a melhor opção para garantir que seus filhos aprendam inglês: escola bilíngue ou escola de inglês?

Para ajudar nessa escolha, a gerente pedagógica da inFlux English School, Lívia Bueno, fala das principais diferenças entre cada modalidade. De acordo com ela, no Brasil existem escolas que possuem um currículo completamente voltado para o ensino em dois idiomas, mas muitas apenas baseiam uma matéria em outra língua ou ofertam atividades extras no contraturno. “O que os responsáveis devem levar em conta na hora de escolher entre uma escola internacional, bilíngue ou um curso de idiomas é a qualidade dos projetos pedagógicos e a garantia do ensino efetivo da língua”, explica Lívia.

Escola internacional 


Em uma escola internacional, o estudante normalmente tem contato com inglês nas cinco áreas do conhecimento e faz provas discursivas no idioma. O ensino como um todo segue as mesmas diretrizes do modelo europeu ou norte americano, dependendo do país de origem da instituição, e não as diretrizes do Ministério da Educação do Brasil (MEC). Isso significa uma carga horária diferente da brasileira, inclusive com um ano a mais de estudo no ensino médio. Ou seja, é uma opção interessante caso a família se mude do Brasil e queira facilitar a continuidade dos estudos no exterior. Mas se os planos são permanecer no Brasil e entrar nas universidades mais concorridas do país, a escola internacional não é a melhor opção, porque o aluno precisará fazer aulas extras de disciplinas como redação e literatura brasileira para conseguir prestar o Enem ou vestibular. Outra característica da escola internacional é seu alto custo, sendo geralmente 25% maior do que de uma escola bilíngue.

Escola bilíngue

Na escola bilíngue, a grade curricular seguida é a brasileira, mas há uma carga horária mínima de duas horas diárias de ensino de inglês com disciplinas curriculares ministradas no idioma, como matemática, ciências, entre outras. Os pais devem observar se os funcionários e professores da instituição são fluentes no segundo idioma oferecido pela escola, para que o aluno tenha realmente a vivência bilíngue para não correr o risco de a criança aprender expressões com o professor de inglês, mas os professores de outras disciplinas ou funcionários não compreenderem o idioma. O custo de uma escola bilíngue geralmente é 30% maior do que de uma escola regular.

 

Escola de idiomas

Já no caso dos benefícios de uma escola de idiomas, Lívia destaca o fato das turmas serem menores, o que permite um ambiente totalmente focado no ensino da língua, com conversação e escrita. De acordo com ela, uma escola de inglês detém a expertise no ensino de idiomas, utilizando uma metodologia específica para isso. Além disso, muitas oferecem atividades extraclasse e ferramentas tecnológicas para auxiliar no estudo fora da sala de aula, como aplicativos e jogos digitais em inglês. No fim do curso, a instituição comprova o desenvolvimento e nível alcançado pelo aluno por meio de uma certificação internacional.

“Vale lembrar que um método de ensino não anula o outro. Na escola bilíngue, por exemplo, o aluno poderá praticar o que aprendeu em um curso voltado apenas para o idioma” finaliza Lívia. A gerente pedagógica ressalta que é importante buscar uma escola que utilize um método que respeite a alfabetização e desenvolvimento de cada criança.

 


Leia Também:

Anterior:

Próxima: