e-book da Gunnebo traz dicas sobre como proteger os produtos mais furtados nos supermercados -


As perdas no varejo supermercadista no país registraram, em 2017, um índice de 1,82%, uma queda de 0,28% em relação a 2016, como aponta a 18ª Avaliação de Perdas no Varejo Brasileiro de Supermercados, elaborada pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), em parceria com a Fundação Instituto de Administração (FIA/Provar). Apesar da leve redução, o cenário preocupa, pois, em um mercado com margens muito apertadas, elas somam a impressionante marca de R$ 6,4 bilhões, originárias principalmente de quebras operacionais (36%), furtos externos, erros de inventário (ambos com 15%) e furtos internos (10%).

Os Produtos de Alto Risco (PAR) são os itens mais furtados de acordo com a pesquisa da Abras. Especialistas recomendam que cada varejista identifique os PAR de sua rede, considerando três fatores: os indicadores de mercado, análise de dados e a experiência diária da operação. De acordo com Adriano Sambugaro, diretor de Marketing da Gunnebo, em um bom gerenciamento das perdas é essencial considerar investimentos em tecnologia, que deve ser atualizada, compatível com o nível do negócio e de razoável custo-benefício favorável ao empreendimento.

A dica para manter os produtos acessíveis ao consumidor, sem confinamento, é utilizar a tecnologia EAS (Electronic Article Surveillance). Com funcionamento simples e imediato, as antenas e etiquetas antifurtos previnem as perdas dos mais diversos produtos.


Para ajudar o varejista, a Gunnebo produziu o e-book Como Proteger os Produtos Mais Furtados no Supermercado, que pode ser baixado pelo link http://info.gunnebo.com.br/guia-itens-par-supermercados.


Leia Também:

Anterior:

Próxima: