No Ceará, Haddad sobe o tom e chama Bolsonaro para o enfrentamento -


FORTALEZA  –  O candidato Fernando Haddad (PT) subiu tom contra Jair bolsonaro (PSL), em ato no Centro de Fortaleza neste sábado, e chamou o adversário para o enfrentamento. “Ele não me enfrenta porque não tem coragem de dizer na minha cara o que o Whatsapp dele falou durante uma campanha inteira. Vem falar da minha família na minha cara, vem falar dos meus bens. Vem me enfrentar, soldadinho de araque”, disse o candidato em palco montado na Praça do Ferreira.

Durante toda a fala, Haddad afirmou que Bolsonaro representa “a elite que passou dois anos em busca de um candidato”. “Acharam o que tem de pior no Congresso Nacional. Uma aberração que só fala em violência, só ofende nordestinos, mulheres e negros”, disse.

O candidato petista desembarcou em Fortaleza na noite de ontem e participou de evento com ativistas digitais.


A campanha de Haddad entende que o Nordeste tem papel estratégico para o candidato e trabalha com a expectativa de que ele alcance 70% dos votos na região. O próprio candidato, durante o ato, disse acreditar em uma “virada” a partir dos nordestinos.

Haddad busca atrair votos no Ceará com a popularidade do governador Camilo Santana (PT) que foi reeleito no primeiro turno com 79,9% dos votos. Junto com o aliado, ele ainda hoje vai participar de encontros na região do Cariri.

Cid Gomes

A visita ao Ceará acontece cinco dias após o ex-governador do Ceará e senador eleito Cid Gomes provocar saia justa à campanha do petista ao cobrar o mea culpa do PT em evento de apoio a Haddad na capital cearence. Questionado sobre as declarações, Haddad disse que não iria mais comentar o episódio.

O petista, porém, voltou a acenar para Ciro Gomes (PDT). “Ciro é um grande brasileiro. Mesmo crítico, o apoio dele é muito importante; 70% do eleitorado dele já vota na gente e eu vim ao Ceará em busca dos outros 30%”, declarou o candidato.

Internamente, dirigentes do PT também evitam tratar do assunto agora e dizem que isso é questão para o futuro. O deputado José Guimarães (PT), que coordena a campanha de Haddad no Estado, trata a questão como “superada”. “A conjuntura nos obriga a estar juntos, embora ele para um lado e nós para outro”, disse. Cid não esteve no ato com Haddad porque, segundo Guimarães, estava participando de adesivaço em prol do petista em Sobral, também no Ceará.

Leia mais: https://www.valor.com.br/politica/5937663/no-ceara-haddad-sobe-o-tom-e-chama-bolsonaro-para-o-enfrentamento


Leia Também:

Anterior:

Próxima: