Na TV, Haddad diz que rival demitirá professor; Bolsonaro repete fala -


SÃO PAULO  –  Candidato do PT a presidente da República, o ex-prefeito Fernando Haddad dedicou o horário eleitoral desta terça-feira ao tema da educação ao lembrar que ontem se comemorou o Dia do Professor. Em uma tentativa de estabelecer um contraponto ao adversário, Jair Bolsonaro (PSL), o petista disse que a área representa o melhor caminho para garantir um Brasil mais justo e repleto de paz. O capitão reformado do Exército tem concentrado suas principais propostas na área de segurança.

Ex-ministro da Educação, Haddad propôs na propaganda um ensino médio federal, a formação continuada de professores e banda larga nas escolas. Mulher do petista, Ana Estela fez um depoimento para enaltecer as qualidades do marido como ministro da pasta por sete anos. “Tenho muito orgulho do que ele fez na Educação. Não tem nada mais nobre”, afirmou ela.

A peça também destaca a passagem de Haddad pela Prefeitura de São Paulo e os prêmios conquistados por sua gestão na capital paulista. “Sempre esteve ao lado do povo. Ódio não leva nada”, afirmou o narrador na sequência. Em um ataque ao adversário, a propaganda critica a ausência de Bolsonaro nos debates e a proposta de educação à distância. Para isso, usa o depoimento de especialistas, como ex-ministro Renato Janine Ribeiro.


“Com educação a distância, não haverá mais uniforme, merenda e nem contato com professores. Professores serão demitidos. Ele não entende a vida do povo”, narra a peça ao acrescentar que mãe neste caso não poderá sair para trabalhar.

Bolsonaro, por sua vez, usou o mesmo programa eleitoral que foi ao ar no dia anterior. O candidato do PSL procurou mostrar-se como um político que está nos braços do povo. A propaganda afirmou que o candidato, se eleito, terá amplo apoio no Congresso e de políticos novos.

O programa disse que Bolsonaro “chegou até aqui na raça”, com 49 milhões de votos no primeiro turno, e disse ter eleito quatro senadores e 52 deputados federais. Afirmou ainda que terá o “apoio político de pessoas novas, de ideias novas e compromissadas”.

Ressaltou também as redes sociais, principal canal de comunicação de Bolsonaro, e disse ter poucos recursos para publicidade. “Mas temos o mais importante, que é a bandeira verde e amarela.”

Leia mais: https://www.valor.com.br/politica/5928881/na-tv-haddad-diz-que-rival-demitira-professor-bolsonaro-repete-fala


Leia Também:

Anterior:

Próxima: