Bolsonaro concorda em debate com Haddad sem “interferência externa” -


RIO  –  O candidato do PSL à presidência da República, Jair Bolsonaro, afirmou neste sábado (13) que é contra a convocação de uma assembleia constituinte e que eventuais mudanças na Carta Magna seriam feitas por meio de emendas.

Em entrevista na casa do empresário Paulo Marinho, no Jardim Botânico, onde grava seu programa eleitoral, o presidenciável disse ainda que aceitaria participar de um debate com seu adversário no segundo turno, Fernando Haddad (PT), desde que não houvesse “interferência externa” e os candidatos pudessem perguntar diretamente um ao outro, sem a participação de terceiros.

“Se sou candidato e estou me submetendo ao povo, por voto, nós temos um norte: somos escravos da Constituição. Tem alguns artigos que eu discordo. Eu chegando [à Presidência], como fiz quando era parlamentar, apresento emendas. Se o parlamento concordar, tudo bem. Agora, uma constituinte, não”, disse Bolsonaro, ressaltando que pretende ter “o parlamento ao seu lado.”


“Se for um debate entre eu e ele sem interferência externa, estou pronto para comparecer. Não adianta você ter boas propostas, como ele [Haddad] deve ter boas propostas, mas que após uma possível eleição não serão colocadas em prática por que quem vai escalar o time é o Lula”, argumentou o presidenciável, ao ser questionado sobre a possibilidade de participar de debates no segundo turno.

“Não tenho obsessão pelo poder. O povo é que vai decidir em quem vai votar. E já conhece o PT, viu o estrago que eles fizeram no Brasil ao longo de 13 anos.”

Bolsonaro voltou a afirmar que, caso vença, a escolha de seu time de ministros não terá indicações políticas: “Não adianta você ter algumas propostas e, na hora de escalar o time de ministros, ter indicação política.”

Leia mais: https://www.valor.com.br/politica/5919679/bolsonaro-concorda-em-debate-com-haddad-sem-interferencia-externa


Leia Também:

Anterior:

Próxima: