Uma Quaresma de combate -


Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
(Mt 18, 15-20)

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Se teu irmão pecar contra ti, vai corrigi-lo, mas em particular, à sós contigo! Se ele te ouvir, tu ganhaste o teu irmão. Se ele não te ouvir, toma contigo mais uma ou duas pessoas, para que toda a questão seja decidida sob a palavra de duas ou três testemunhas. Se ele não vos der ouvido, dize-o à Igreja. Se nem mesmo à Igreja ele ouvir, seja tratado como se fosse um pagão ou um pecador público. Em verdade vos digo, tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes na terra será desligado no céu. De novo, eu vos digo: se dois de vós estiverem de acordo na terra sobre qualquer coisa que quiserem pedir, isto vos será concedido por meu Pai que está nos céus. Pois onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome eu estou ali, no meio deles”.

Hoje, dia em que a Igreja celebra ao redor do mundo inteiro a Assunção de Nossa Senhora, damos início à chamada Quaresma de São Miguel, uma piedosa devoção introduzida por S. Francisco de Assis como preparação para a festa dos Santos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael, celebrada no fim de setembro. Apesar de não se tratar de uma prática oficial, pertencente ao calendário litúrgico da Igreja, todos somos chamados a dedicar-nos generosamente, ao longo dos próximos quarenta dias, a este combate espiritual contra o pecado e as forças do inferno que tem de estar no centro da vida de qualquer batizado. E as duas figuras que devem servir-nos de norte para esse tempo de mais rigorosa penitência encontram-se no capítulo 12 do Apocalipse: de um lado, a Virgem SS., aquela “mulher vestida de sol” que pisoteou a cabeça da serpente; de outro, o próprio Arcanjo S. Miguel, príncipe da milícia celeste sob cuja espada hão-de ser derrotadas as hostes de Satanás. De ambos devemos imitar a virtude da humildade, que os une nessa guerra comum contra os anjos caídos, que, por sua vaidosa soberba, estão confirmados no mal e buscam a todo custo precipitar consigo no fogo eterno o maior número de almas possível. Que a Virgem bendita, assunta em corpo e alma à glória do céu, e o Arcanjo S. Miguel nos protejam e auxiliem durante essa Quaresma devocional, que não é mais do que a luta dos filhos da Mulher contra a descendência da antiga serpente, o diabo.


Recomendações

Leia mais: http://padrepauloricardo.org/episodios/uma-quaresma-de-combate


Leia Também:

Anterior:

Próxima: