Em SP, 150 usinas de cana poderão paralisar as atividades até amanhã (29) -


canavial

(Divulgação)

Leia também:

A informação é da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA). De acordo com a entidade, em virtude da paralisação dos caminhoneiros, além do diesel para abastecer as máquinas, faltam  peças, alimentos para refeitório.


A entidade destaca que São Paulo possui 14 mil produtores rurais fornecedores de cana, 150 usinas e gera mais de 310 mil empregos diretos. Além disso, o Estado é responsável por 60% da produção brasileira de açúcar e etanol. Esse contingente processa diariamente mais de dois milhões de toneladas de cana, produzindo 150 mil toneladas de açúcar e 100 milhões de litros de etanol por dia.

Em nota, a UNICA destacou como a paralisação afeta o Setor Sucroenergético no Estado. 

”O cenário [de greve] é preocupante porque além de aumentar os custos de produção, reduz o faturamento das unidades produtoras em aproximadamente R$ 180 milhões por dia, o que pode comprometer a sobrevivência de muitas dessas empresas, que já estão com nível de endividamento elevado diante da crise vivenciada pelo setor sucroenergético nos últimos anos”, diz a entidade.

Ainda devido à paralisação, outro fator que deve trazer prejuízo ao setor é a postergação do período de moagem.

A UNICA informa que em função das manifestações, algumas unidades tiveram seus canaviais, criminalmente, incendiados, após tentarem entregar etanol para garantir o mínimo de suprimento à população. 

“A queimada significa perda adicional de receita, já que corresponde a uma quantidade de cana-de-açúcar que não poderá ser processada em tempo hábil para não comprometer a qualidade da matéria prima”.

Leia mais: https://www.infomoney.com.br//mercados/agro/noticia/7442882/150-usinas-cana-poderao-paralisar-atividades-ate-amanha


Leia Também:

Anterior:

Próxima: